"Seja Bem vindo" - "Este é um espaço a serviço do Reino de Deus. Queremos fazer deste espaço um ponto de encontro com a Fé.” Encontros Catequéticos domingo, as 08h30. “Vida sim, aborto não!” "Este site usa cookies para ajudar a fornecer serviços. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies."

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Dia Mundial dos Enfermos

Dom Gil Antônio Moreira
Arcebispo de Juiz de Fora


Ao dia 11 de fevereiro celebramos o Dia Mundial dos Enfermos. A efeméride foi criada pelo Papa João Paulo II, em 1992, com o fim de chamar à atenção dos seres humanos, cristãos ou não cristãos, para a necessidade de cuidar bem dos doentes, ressaltando a dignidade da pessoa humana, mesmo quando perde a saúde ou mesmo quando se encontre em situações degradantes. A caridade ensinada por Cristo como a maior das virtudes impulsionou o Pontífice a instituir tal comemoração, assomando a ela tudo o que a Igreja vem fazendo, no correr dos séculos, pelas pessoas enfermas. 

Muitos exemplos edificantes de pessoas e instituições, eclesiásticas ou não, que olham para o doente com respeito, amor, ternura, verdadeiro espírito de ajuda e atenção edificam e animam os demais para praticarem o bem a todos, sobretudo a quem se encontra em situação vulnerável. 
Porém, também os exemplos negativos de descuido, maus tratos, desprezo, impaciência, falta de cuidados e tantas outras situações negativas desfiguram a dignidade da pessoa humana e contribuem para a desorganização social, transformando o mundo em um lugar de irracionais, sem amor, difícil de viver. 
A variedade dos maiores ou menores cuidados dos governos em relação à saúde da população, existindo em certos países verdadeira injustiça social com planos de saúde insuficientes ou desumanos, ou ainda não observados na prática, também justificam a iniciativa da Igreja de colaborar com proposições que possibilitem a solução da grave questão. 
Estabeleceu-se, desde sempre, que a sede da celebração da Jornada Mundial do Enfermo, agora em sua 25ª versão, seja o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, na França, por ser um centro de numerosas peregrinações de doentes, agentes da saúde e voluntários, durante todo o ano, mormente no referido dia 11, quando se recordam as aparições de Nossa Senhora à jovem Bernadete de Soubirous, em 1858. 
O Papa Francisco escolheu para a 25º Jornada dos enfermos o tema: ‘Admiração pelo que Deus faz: o Todo-Poderoso fez em mim maravilhas’ (Lc 1, 49), tendo se expressado nos seguintes termos: “Sentindo-me desde agora presente espiritualmente na Gruta de Massabiel, diante da imagem da Virgem Imaculada, em quem o Todo-Poderoso fez maravilhas em prol da redenção da humanidade, desejo manifestar a minha proximidade a todos vós, irmãos e irmãs que viveis a experiência do sofrimento, e às vossas famílias, bem como o meu apreço a quantos, nas mais variadas tarefas de todas as estruturas sanitárias espalhadas pelo mundo, com competência, responsabilidade e dedicação se ocupam das melhoras, cuidados e bem-estar diário de todos vós. Desejo encorajar-vos a todos – doentes, atribulados, médicos, enfermeiros, familiares, voluntários – a olhar Maria, Saúde dos Enfermos, como a garante da ternura de Deus por todo o ser humano e o modelo de abandono à vontade divina; e encorajar-vos também a encontrar sempre na fé, alimentada pela Palavra e os Sacramentos, a força para amar a Deus e aos irmãos mesmo na experiência da doença”. (Mensagem do Papa Francisco 2017).
Para os que têm fé, ter um doente em casa é como responder a um chamado de Cristo para acolher a Ele mesmo, pois também Ele experimentou no corpo as dores terríveis da flagelação, da coroação de espinhos e da crucifixão. Ele já havia ensinando: Tudo o que fizerdes ao menor de meus irmãos, é a mim que estarei fazendo. (Mt 25, 40). 
Também Ele mesmo prometeu: Estava doente e foste-me visitar... Vinde, benditos de meu Pai; recebei a herança que Ele vos preparou desde o início da criação” (cf Mt 25, 34 ss).
Todos temos a saúde em contínua possibilidade de risco. Também nós, um dia, poderemos depender da ajuda do irmão. Porém, independente disto, recordemos que ajudar é um privilégio que Deus reserva àqueles que, humildemente, se dispõem a viver sob o impulso santificador da Palavra do Senhor da Vida

http://www.cnbb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=20270:dia-mundial-dos-enfermos&catid=336&Itemid=204

"A catequese não prepara simplesmente para este ou aquele sacramento. O sacramento é uma consequência de uma adesão a proposta do Reino, vivida na Igreja (DNC 50)."

Documento Necessário para o Batismo e Crisma

Certidão de Nascimento ou Casamento do Batizando;

Comprovante de Casamento Civil e Religioso dos padrinhos;

Comprovante de Residência,

Cartões de encontro de Batismo dos padrinhos;

Documentos Necessários para Crisma:

RG do Crismando e Padrinho, Declaração de batismo do Crismando, Certidão ou declaração do Crisma do Padrinho, Certidão de Casamento Civil e Religioso do Padrinho/Madrinha e Crismando se casados.

Fonte: Catedral São Dimas

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Reflexão

REFLEXÃO

A porta larga que o mundo oferece para as pessoas é a busca da felicidade a partir do acúmulo de bens e de riquezas. A porta estreita é aquela dos que colocam somente em Deus a causa da própria felicidade e procuram encontrar em Deus o sentido para a sua vida. De fato, muitas pessoas falam de Deus e praticam atos religiosos, porém suas vidas são marcadas pelo interesse material, sendo que até mesmo a religião se torna um meio para o maior crescimento material, seja através da busca da projeção da própria pessoa através da instituição religiosa, seja por meio de orações que são muito mais petições relacionadas com o mundo da matéria do que um encontro pessoal com o Deus vivo e verdadeiro. Passar pela porta estreita significa assumir que Deus é o centro da nossa vida.

reflexão sobre o Dízimo

A espiritualidade do Dízimo

O dízimo carrega uma surpreendente alegria no contribuinte. Aqueles que se devotam a esta causa se sentem mais animados, confortados e motivados para viver a comunhão. O dízimo, certamente, não é uma questão de dinheiro contrariando o que muitos podem pensar. Ele só tem sentido quando nasce de uma proposta para se fazer a experiência de Deus na vida cristã. Somos chamados e convocados a este desafio.

Em caso contrario, ele se torna frio e distante; por vezes indiferente. A espiritualidade reequilibra os desafios que o dízimo carrega em si. "Honra o Senhor com tua riqueza. Com as primícias de teus rendimentos. Os teus celeiros se encherão de trigo. Teus lagares transbordarão de vinho" (Pr 3,9-10). Contribuir quando se tem de sobra, de certa forma, não é muito dispendioso e difícil. Participar da comunhão alinha o desafio do dízimo cristão.

Se desejar ler, aceno: Gn 28, 20-22; Lv 27, 30-32; Nm 18, 25-26 e Ml 3, 6-10.

Fonte : Pe. Jerônimo Gasques

http://www.portalnexo.com.br/Conteudo/?p=conteudo&CodConteudo=12

Programe-se

Catequese com Adultos/ Paróquia NSª do Rosário - todo domingo das 08h30 as 10h00 / "Vida Sim, Aborto não!"

" Encontros Catequéticos domingo, as 08h30."

*Catequese com Adultos/ Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Vila Tesouro - São José dos Campos - SP. * "Vida sim, aborto não!

Este blog pode possuir foto (imagem) retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.