"Seja Bem vindo" - "Este é um espaço a serviço do Reino de Deus. Queremos fazer deste espaço um ponto de encontro com a Fé.” Encontros Catequéticos domingo, as 08h30. “Vida sim, aborto não!” "Este site usa cookies para ajudar a fornecer serviços. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies."

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

As consolações de Deus



sentimentoUma coisa é certa: Deus não perde batalhas quando seus filhos, seus soldados, não desistem da luta!
Deus não nos desampara em nossas lutas, tribulações e aflições. Santo Agostinho disse num dos seus Sermões, que “Qualquer angústia ou tribulação que sofremos é para nós aviso e também correção” (PLS 2,441-442). E ainda: “A Igreja caminha neste mundo entre as perseguições dos inimigos e das consolações de Deus”. Os santos que mais sofreram na alma foram também os que mais experimentaram as consolações de Deus. Entre eles, principalmente São Paulo que nos deixou essa página memorável aos seus filhos de Corinto:

“Bendito seja Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias, Deus de toda a consolação, que nos conforta em todas as nossas tribulações, para que, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus, possamos consolar os que estão em qualquer angústia! Com efeito, à medida que em nós crescem os sofrimentos de Cristo, crescem também por Cristo as nossas consolações. Se, pois, somos atribulados, é para vossa consolação e salvação. Se somos consolados, é para vossa consolação, a qual se efetua em vós pela paciência em tolerar os sofrimentos que nós mesmos suportamos. A nossa esperança a respeito de vós é firme:
sofrendomenor sabemos que, como sois companheiros das nossas aflições, assim também o sereis da nossa consolação. Não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia. Fomos maltratados ali desmedidamente, além das nossas forças, a ponto de termos perdido a esperança de sair com vida. Sentíamos dentro de nós mesmos a sentença de morte, para que aprendêssemos a pôr a nossa confiança não em nós, mas em Deus, que ressuscita os mortos. Ele nos livrou e nos livrará de tamanhos perigos de morte. Sim, esperamos que ainda nos livrará” (2 Cor 1,3-10).
Todos nós sofremos tribulações quando decidimos tomar a Cruz de Cristo e seguir Seus passos, renunciando a nós mesmos (cf. Lc 9,12). É o caminho de nossa salvação e dos outros a quem amamos também. São Paulo repetia isso com insistência: “Confirmavam as almas dos discípulos e exortavam-nos a perseverar na fé, dizendo que é necessário entrarmos no Reino de Deus por meio de muitas tribulações” (Atos 14, 22), mas estava também certo das consolações de Deus; por isso, não as temia. É incrível a sua esperança, mesmo nas dores, porque ele conhecia os frutos da luta. Aos romanos ele disse: “Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência”. (Rom 5, 3)
E Paulo, não escondia nada dos seus leitores: “Mas em todas as coisas nos apresentamos como ministros de Deus, por uma grande constância nas tribulações, nas misérias, nas angústias (II Cor 6, 4). “Tenho grande confiança em vós. Grande é o motivo de me gloriar de vós. Estou cheio de consolação, transbordo de gozo em todas as nossas tribulações. (II Cor 7, 4). “Por isso vos rogo que não desfaleçais nas minhas tribulações que sofro por vós: elas são a vossa glória”. (Ef 3, 13). “Agora me alegro nos sofrimentos suportados por vós. O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por seu corpo que é a Igreja”. (Col 1, 24). E São Paulo pede algo aos tessalonicenses que muito no importa também: “em meio às presentes tribulações, ninguém se se amedronte. Vós mesmos sabeis que esta é a nossa sorte” (I Tess 3, 3).
Este tema o Apóstolo, recorda a todas as comunidades que fundou. “Assim, irmãos, fomos consolados por vós, no meio de todas as nossas angústias e tribulações, em virtude da vossa fé” (I Tess 3, 7). Já no limiar da morte, São João Paulo II disse uma frase memorável: “Quanto mais se sofre, mais é preciso rezar”.
São Paulo se gloriava da luta de seus filhos: “De sorte que nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus, pela vossa constância e fidelidade no meio de todas as perseguições e tribulações que sofreis” (II Tess 1, 4).
A Carta aos hebreus diz algo semelhante: “De fato, por ter Jesus suportado tribulações, está em condição de vir em auxílio dos que são atribulados” (Heb 2, 18). E Jesus disse a São João à Igreja de Esmirna: “Tereis tribulações durante dez dias. Sê fiel até a morte e te darei a coroa da vida” (Ap 2, 10). Esta “coroa da vida” será também nossa, para todos que a conquistaram. Como São Paulo afirmou: “Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé. Desde já está me reservada a coroa da justiça, que me dará o Senhor, justo Juiz, naquele Dia” (II Tm 4,7).
Lembro-me do depoimento do cardeal Frantisek Tomasek, da antiga Tchecoslováquia, que passou 20 anos nos terríveis cárceres comunistas. Quando ele foi solto, um repórter lhe perguntou se ele não se sentiu frustrado como cardeal, príncipe da Igreja. Sua resposta foi esta: “Quem trabalha pela Igreja faz muito, quem reza, faz mais ainda, que sofre faz tudo por ela. É o que eu pude fazer.”socorrodedeus
Também nunca podemos esquecer de que Grande é o nosso Deus. Ele tudo pode. E o que nos falta em nossa humanidade, Ele pode completar com Sua graça divina. São Pio de Pieltrecina, disse certa vez que “o Deus dos Cristãos é o Deus da metamorfose: Você joga sua dor em Seu colo e reencontra a paz; você joga seu desespero e reencontra a esperança”.
Uma coisa é certa: Deus não perde batalhas quando seus filhos, seus soldados, não desistem da luta. Jesus disse que “quem perseverar até o fim será salvo”. Alegria irmãos, o Céu existe; mas para conquistá-lo para nós e para os nossos caros; às vezes temos de ter sangue nos lábios, dores na alma e lágrimas nos olhos. Mas, “não tenhamos medo, porque sempre o Senhor ressuscitado estará conosco”. (São João Paulo II)
Prof. Felipe Aquino
http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2015/08/20/as-consolacoes-de-deus/

"A catequese não prepara simplesmente para este ou aquele sacramento. O sacramento é uma consequência de uma adesão a proposta do Reino, vivida na Igreja (DNC 50)."

Documento Necessário para o Batismo e Crisma

Certidão de Nascimento ou Casamento do Batizando;

Comprovante de Casamento Civil e Religioso dos padrinhos;

Comprovante de Residência,

Cartões de encontro de Batismo dos padrinhos;

Documentos Necessários para Crisma:

RG do Crismando e Padrinho, Declaração de batismo do Crismando, Certidão ou declaração do Crisma do Padrinho, Certidão de Casamento Civil e Religioso do Padrinho/Madrinha e Crismando se casados.

Fonte: Catedral São Dimas

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Reflexão

REFLEXÃO

A porta larga que o mundo oferece para as pessoas é a busca da felicidade a partir do acúmulo de bens e de riquezas. A porta estreita é aquela dos que colocam somente em Deus a causa da própria felicidade e procuram encontrar em Deus o sentido para a sua vida. De fato, muitas pessoas falam de Deus e praticam atos religiosos, porém suas vidas são marcadas pelo interesse material, sendo que até mesmo a religião se torna um meio para o maior crescimento material, seja através da busca da projeção da própria pessoa através da instituição religiosa, seja por meio de orações que são muito mais petições relacionadas com o mundo da matéria do que um encontro pessoal com o Deus vivo e verdadeiro. Passar pela porta estreita significa assumir que Deus é o centro da nossa vida.

reflexão sobre o Dízimo

A espiritualidade do Dízimo

O dízimo carrega uma surpreendente alegria no contribuinte. Aqueles que se devotam a esta causa se sentem mais animados, confortados e motivados para viver a comunhão. O dízimo, certamente, não é uma questão de dinheiro contrariando o que muitos podem pensar. Ele só tem sentido quando nasce de uma proposta para se fazer a experiência de Deus na vida cristã. Somos chamados e convocados a este desafio.

Em caso contrario, ele se torna frio e distante; por vezes indiferente. A espiritualidade reequilibra os desafios que o dízimo carrega em si. "Honra o Senhor com tua riqueza. Com as primícias de teus rendimentos. Os teus celeiros se encherão de trigo. Teus lagares transbordarão de vinho" (Pr 3,9-10). Contribuir quando se tem de sobra, de certa forma, não é muito dispendioso e difícil. Participar da comunhão alinha o desafio do dízimo cristão.

Se desejar ler, aceno: Gn 28, 20-22; Lv 27, 30-32; Nm 18, 25-26 e Ml 3, 6-10.

Fonte : Pe. Jerônimo Gasques

http://www.portalnexo.com.br/Conteudo/?p=conteudo&CodConteudo=12

Programe-se

Catequese com Adultos/ Paróquia NSª do Rosário - todo domingo das 08h30 as 10h00 / "Vida Sim, Aborto não!"

" Encontros Catequéticos domingo, as 08h30."

*Catequese com Adultos/ Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Vila Tesouro - São José dos Campos - SP. * "Vida sim, aborto não!

Este blog pode possuir foto (imagem) retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.