"Seja Bem vindo" - "Este é um espaço a serviço do Reino de Deus. Queremos fazer deste espaço um ponto de encontro com a Fé.” Encontros Catequéticos domingo, as 08h30. “Vida sim, aborto não!” "Este site usa cookies para ajudar a fornecer serviços. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies."

quarta-feira, 16 de março de 2016

A cruz de Cristo e a misericórdia

Dom Adelar Baruffi
Bispo de Cruz Alta


A proximidade da celebração da paixão, morte e ressurreição nos faz ver a grandeza da misericórdia que Deus revelou a nós no seu Filho, o Crucificado-Ressuscitado. São sempre atuais as palavras do profeta Zacarias, retomadas por São João: “olharão para aquele que traspassaram” (Jo 19,37). Será sempre um olhar humano, portanto limitado, que contempla a manifestação do ser mais profundo de Deus, seu amor misericordioso. Por isso, precisamos do “olhar da fé”, para, sem ignorarmos os fatos, vermos neles a redenção da humanidade, pura obra da graça. 

Na cruz, aquele que “passou fazendo o bem e curando a todos” (At 10,38), mostra-se agora Ele próprio, digno da maior misericórdia. “Ele não tinha beleza e nem esplendor que pudesse atrair o nosso olhar, nem formosura capaz de nos deleitar. Era desprezado e abandonado pelos homens, homem sujeito à dor, familiarizado com o sofrimento, como pessoa de quem todos escondem o rosto; desprezado, nem fazíamos caso dele.” (Is 53,2-3).Como que suplicando misericórdia, convida os discípulos a vigiarem com ele (Mt 26,28) e, ao Pai, pede para, “se possível, que passe de mim este cálice.” (Mt 26, 39). O Paimantém-se fiel em seu amor misericordioso, “pois Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3,16). Não lhe é, porém, poupado o sofrimento.E não encontrou quem dele tivesse misericórdia! Por isso, a cruz fala do pecado, da falta de justiça e misericórdia da humanidade, da indiferença diante do sofrimento inocente, da violência que tira a vida de pobres, crianças e jovens. Infelizmente, também hoje, como com Jesus, “nem fazíamos caso dele.” (Is 53,2).
A vida, as palavras e atitudes de Jesus sempre foram misericordiosas. Mas, nenhum outro momento da vida de Jesus tocou mais profundo a miséria humana do que na sua cruz. Ele “foi maltratado, mas livremente humilhou-se e não abriu a boca” (Is 53, 7). Sua fidelidade e seu amor foram até o fim (cf. Jo13,1). Oferece a si mesmo, a sua vida, como sacrifício expiatório (cf. Is 53, 10), e “levou sobre si o pecado de muitos” (Is 53,12). Sua misericórdia perdoa sempre. “Pai, perdoa-lhes, eles não sabem o que fazem.” (Lc 23,34). Por isso, disse S. João Paulo II: “A cruz é como que um toque do amor eterno nas feridas mais dolorosas da existência terrena do homem” (Dives in misericórdia, 8). No simbolismo do “sangue e água”, que brotam do coração traspassado do crucificado, a misericórdia de Cristo continua na sua Igreja através dos sacramentos, principalmente do Batismo e da Eucaristia.
Enfim, a cruz de Cristo não é somente manifestação da misericórdia divina, mas também, apelo aos cristãos a viverem a misericórdia e a doação de si.O estilo de vida do Nazareno, impregnado de misericórdia, torna-se o modo de ser e viver dos seus discípulos. Terão sempre diante de si, à luz da Ressurreição, a cruz e o Crucificado, pois nela a revelação do amor misericordioso atinge o ponto culminante. “Quem ama deseja dar-se a si próprio.” (S. João Paulo II, Dives in misericórdia, 8). Os cristãos são convidados a tocar as chagas do Crucificado, não ter medo de tocá-las. 
Vivamos todos cada dia da Semana Santa com intensidade. Participemos integralmente, em nossa comunidade, das celebrações do Tríduo Pascal.
http://www.cnbb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=18359:a-cruz-de-cristo-e-a-misericordia&catid=432&Itemid=204

"A catequese não prepara simplesmente para este ou aquele sacramento. O sacramento é uma consequência de uma adesão a proposta do Reino, vivida na Igreja (DNC 50)."

Documento Necessário para o Batismo e Crisma

Certidão de Nascimento ou Casamento do Batizando;

Comprovante de Casamento Civil e Religioso dos padrinhos;

Comprovante de Residência,

Cartões de encontro de Batismo dos padrinhos;

Documentos Necessários para Crisma:

RG do Crismando e Padrinho, Declaração de batismo do Crismando, Certidão ou declaração do Crisma do Padrinho, Certidão de Casamento Civil e Religioso do Padrinho/Madrinha e Crismando se casados.

Fonte: Catedral São Dimas

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Reflexão

REFLEXÃO

A porta larga que o mundo oferece para as pessoas é a busca da felicidade a partir do acúmulo de bens e de riquezas. A porta estreita é aquela dos que colocam somente em Deus a causa da própria felicidade e procuram encontrar em Deus o sentido para a sua vida. De fato, muitas pessoas falam de Deus e praticam atos religiosos, porém suas vidas são marcadas pelo interesse material, sendo que até mesmo a religião se torna um meio para o maior crescimento material, seja através da busca da projeção da própria pessoa através da instituição religiosa, seja por meio de orações que são muito mais petições relacionadas com o mundo da matéria do que um encontro pessoal com o Deus vivo e verdadeiro. Passar pela porta estreita significa assumir que Deus é o centro da nossa vida.

reflexão sobre o Dízimo

A espiritualidade do Dízimo

O dízimo carrega uma surpreendente alegria no contribuinte. Aqueles que se devotam a esta causa se sentem mais animados, confortados e motivados para viver a comunhão. O dízimo, certamente, não é uma questão de dinheiro contrariando o que muitos podem pensar. Ele só tem sentido quando nasce de uma proposta para se fazer a experiência de Deus na vida cristã. Somos chamados e convocados a este desafio.

Em caso contrario, ele se torna frio e distante; por vezes indiferente. A espiritualidade reequilibra os desafios que o dízimo carrega em si. "Honra o Senhor com tua riqueza. Com as primícias de teus rendimentos. Os teus celeiros se encherão de trigo. Teus lagares transbordarão de vinho" (Pr 3,9-10). Contribuir quando se tem de sobra, de certa forma, não é muito dispendioso e difícil. Participar da comunhão alinha o desafio do dízimo cristão.

Se desejar ler, aceno: Gn 28, 20-22; Lv 27, 30-32; Nm 18, 25-26 e Ml 3, 6-10.

Fonte : Pe. Jerônimo Gasques

http://www.portalnexo.com.br/Conteudo/?p=conteudo&CodConteudo=12

Programe-se

Catequese com Adultos/ Paróquia NSª do Rosário - todo domingo das 08h30 as 10h00 / "Vida Sim, Aborto não!"

" Encontros Catequéticos domingo, as 08h30."

*Catequese com Adultos/ Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Vila Tesouro - São José dos Campos - SP. * "Vida sim, aborto não!

Este blog pode possuir foto (imagem) retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.