"Seja Bem vindo" - "Este é um espaço a serviço do Reino de Deus. Queremos fazer deste espaço um ponto de encontro com a Fé.” Encontros Catequéticos domingo, as 08h30. “Vida sim, aborto não!” "Este site usa cookies para ajudar a fornecer serviços. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies."

sexta-feira, 24 de março de 2017

Doutrina Social da Igreja

Dom Pedro Carlos Cipollini
Bispo da diocese de Santo André, SP

Prezado leitor, gostaria nesta ocasião de apresentar-lhes a reflexão;o da Igreja em sua perspectiva social, e como esta se relaciona nesta sociedade, esta é a chamada Doutrina Social da Igreja.

O ser humano, na concepção cristã, só pode ser compreendido referindo-se ao mistério de Deus, que se revelou em Jesus Cristo, seu filho e homem perfeito (GS 22;24). Assim, criado à imagem de Deus, que é comunhão de amor, o ser humano é chamado a realizar-se em comunhão e união solidária com seus semelhantes. Este é o fundamento da comunidade humana.
A pessoa humana voltada para a construção da unidade do gênero humano ajuda a formar a civilização do amor, que é o eixo fundamental da Doutrina Social da Igreja (cf. Bento XVI in Caritas in Veritate). Deste modo, a comunidade humana não é vista somente como um projeto sociológico, mas tem um sentido teológico e moral. Não são as ideologias que devem dirigir a história, levando, infelizmente, cada geração a um desastre (nazismo, comunismo, mooísmo, capitalismo selvagem, etc). É o projeto de Deus que Jesus anuncia como Reinado de Deus que deve nortear a história humana.
A Igreja, neste contexto, tem uma função bem definida e uma miss&a tilde;o muito clara: Ela deve ser servidora do Reino de Deus como: “humani generis ancilla” (Paulo VI, discurso de encerramento do Vaticano II). Enquanto a sociologia fala de “atores” ou “agentes”, a Igreja fala de “interlocutores” e “diálogo”. A Doutrina Social da Igreja, portanto, coloca a pessoa no centro da realidade cultural, econômica e associativa de toda ordem.
A Igreja vê a sociedade constituída por pessoas e não por co isas ou indivíduos isolados. A sociedade é formada por sujeitos no nível do “Tu” procurando criar o “Nós”. Assim, as estruturas, nesta concepção, estão subordinadas à pessoa, e estão a seu serviço.
A criatura humana é a única que Deus quis por si mesma, ela n&atil de;o se realiza plenamente a não ser no dom sincero de si, à exemplo do seu Criador. A sociedade, como comunidade de pessoas, deve criar condições para que isso se realize. Aqui está a finalidade da política como instrução da sociedade que visa levá-la à sua realização.
A finalidade da política é a criação, manutenção e desenvolvimento da sociedade como uma família; que desenvolve relações interpessoais que possibilitem a realização da pessoa humana. A política deve buscar a construção de uma realidade humana, pacífica, justa e fraterna na perspectiva do Plano de Deus. Busca, através do bem comum, o cuidado dos povos e a aplicação de leis justas.
Falar de ação política está associado à fala sobre a responsabilidade de todos cidadãos, sem delegar responsabilidades às elites de poder, partidos ou governos. A vocação pessoal de buscar o bem comum é de todos.
O desafio à ação política dos cristãos vem da sociedade excludente, que é fruto do sistema econômico dominante. Sistema que favorece ricos cada vez mais ricos e pobres cada vez mais pobres (Papa Francisco, EG 52).
A utopia cristã formulada pelo Magistério Social da Igreja dá-nos oportunidade de antever a sociedade sendo permeada pelos valores do Evangelho: a verdade, a gratuidade e os direitos humanos em especial. É nesta perspectiva que a Igreja do Grande ABC, a partir de sua fé, quer dialogar com a Sociedade e suas forças de governança, para, unidos, trabalharmos em favor da pessoa e da vida.

http://www.cnbb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=20499:doutrina-social-da-igreja&catid=370&Itemid=204

"A catequese não prepara simplesmente para este ou aquele sacramento. O sacramento é uma consequência de uma adesão a proposta do Reino, vivida na Igreja (DNC 50)."

Documento Necessário para o Batismo e Crisma

Certidão de Nascimento ou Casamento do Batizando;

Comprovante de Casamento Civil e Religioso dos padrinhos;

Comprovante de Residência,

Cartões de encontro de Batismo dos padrinhos;

Documentos Necessários para Crisma:

RG do Crismando e Padrinho, Declaração de batismo do Crismando, Certidão ou declaração do Crisma do Padrinho, Certidão de Casamento Civil e Religioso do Padrinho/Madrinha e Crismando se casados.

Fonte: Catedral São Dimas

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Reflexão

REFLEXÃO

A porta larga que o mundo oferece para as pessoas é a busca da felicidade a partir do acúmulo de bens e de riquezas. A porta estreita é aquela dos que colocam somente em Deus a causa da própria felicidade e procuram encontrar em Deus o sentido para a sua vida. De fato, muitas pessoas falam de Deus e praticam atos religiosos, porém suas vidas são marcadas pelo interesse material, sendo que até mesmo a religião se torna um meio para o maior crescimento material, seja através da busca da projeção da própria pessoa através da instituição religiosa, seja por meio de orações que são muito mais petições relacionadas com o mundo da matéria do que um encontro pessoal com o Deus vivo e verdadeiro. Passar pela porta estreita significa assumir que Deus é o centro da nossa vida.

reflexão sobre o Dízimo

A espiritualidade do Dízimo

O dízimo carrega uma surpreendente alegria no contribuinte. Aqueles que se devotam a esta causa se sentem mais animados, confortados e motivados para viver a comunhão. O dízimo, certamente, não é uma questão de dinheiro contrariando o que muitos podem pensar. Ele só tem sentido quando nasce de uma proposta para se fazer a experiência de Deus na vida cristã. Somos chamados e convocados a este desafio.

Em caso contrario, ele se torna frio e distante; por vezes indiferente. A espiritualidade reequilibra os desafios que o dízimo carrega em si. "Honra o Senhor com tua riqueza. Com as primícias de teus rendimentos. Os teus celeiros se encherão de trigo. Teus lagares transbordarão de vinho" (Pr 3,9-10). Contribuir quando se tem de sobra, de certa forma, não é muito dispendioso e difícil. Participar da comunhão alinha o desafio do dízimo cristão.

Se desejar ler, aceno: Gn 28, 20-22; Lv 27, 30-32; Nm 18, 25-26 e Ml 3, 6-10.

Fonte : Pe. Jerônimo Gasques

http://www.portalnexo.com.br/Conteudo/?p=conteudo&CodConteudo=12

Programe-se

Catequese com Adultos/ Paróquia NSª do Rosário - todo domingo das 08h30 as 10h00 / "Vida Sim, Aborto não!"

" Encontros Catequéticos domingo, as 08h30."

*Catequese com Adultos/ Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Vila Tesouro - São José dos Campos - SP. * "Vida sim, aborto não!

Este blog pode possuir foto (imagem) retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.