"Seja Bem vindo" - "Este é um espaço a serviço do Reino de Deus. Queremos fazer deste espaço um ponto de encontro com a Fé.” Encontros Catequéticos domingo, as 08h30. “Vida sim, aborto não!” "Este site usa cookies para ajudar a fornecer serviços. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies."

quarta-feira, 10 de maio de 2017

UJUCAT (União dos Juristas Católicos na Diocese de São José dos Campos) promove no dia 20 de maio (sábado), das 9h às 12h, no auditório da Faculdade Católica-SJC o seminário com o tema: “Cultura de Vida x Cultura da Morte – Fundamentos das noções de Bem, Verdade e Moral face aos dilemas contemporâneos”.
Clique AQUI e faça sua inscrição. Vagas limitadas.
Haverá certificação em parceria com a Católica-SJC.

Cultura da Morte e relativismo moral: suas origens e os antídotos para salvaguardar a verdadeira Cultura da Vida.
Pe. José Eduardo de Oliveira e Silva
Nasceu em Piracicaba–SP e foi ordenado sacerdote da Diocese de Osasco em 2006. É doutor em Teologia Moral pela Universidade da Santa Cruz, em Roma. A partir de 2013, tornou-se conferencista em temas como gênero, aborto, defesa da família e educação. Atualmente é Pároco da Paróquia São Domingos, em Osasco.
.
Certezas e incertezas do Direito: fundamentos para as noções de Bem, Verdade e Moral face aos dilemas morais 
Dr. Ricardo Henry Marques Dip 
Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Bacharel em Jornalismo pela Faculdade de Jornalismo Cásper Líbero. Mestre em Função Social do Direito pela Faculdade Autônoma de Direito. É membro fundador do Instituto Jurídico Interdisciplinar da Faculdade de Direito da Universidade do Porto (Portugal). É acadêmico de honra da Real Academia de Jurisprudencia y Legislación de Madri (Espanha). É diretor da Seção de Estudos de Direito Natural do Consejo de Estudios Hispánicos Felipe II, de Madri, e membro do Conselho de Redação de sua revista Fuego y Raya, publicação hispanoamericana de história e política. É membro do comitê científico do Instituto de Estudios Filosóficos Santo Tomás de Aquino, de Buenos Aires. Integra o Conselho Acadêmico da Seção de Filosofia do Direito de El Derecho: Diário de Doctrina y Jurisprudencia, sob a rubrica da Universidade Católica Argentina. É membro do Conselho Editorial da Revista do Irib e do Conselho Editorial Nacional da Revista de Direito Notarial, editada pelo Colégio Notarial do Brasil. É integrante do Conselho Editorial dos Cadernos do CENoR, da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. É titular da cadeira n. 12 da Academia Brasileira de Direito Registral Imobiliário e da cadeira n. 23 da Academia Notarial Brasileira. Autor de vários livros publicados no Brasil e no exterior.
Sobre o Tema
É facilmente identificado em nossa sociedade contemporânea que no cerne dos nossos mais graves problemas encontra-se a questão moral, embora poucos consigam defini-la com clareza. Fragilizada pela ausência de noções claras do que é o Bem e a Verdade, a própria Moral tornou-se algo relativo e, consequentemente, maleável, utilizada para fins retóricos. Não sem consequências, esse relativismo moral produziu frutos na sociedade e cristalizou uma das principais batalhas de nossa sociedade contemporânea que é a da Cultura da Vida versus a Cultura da Morte.
São João Paulo II mostrou-se incansável guerreiro neste front e com clareza aponta na Encíclica Evangelium Vitae que “Este horizonte de luzes e sombras deve tornar-nos, a todos, plenamente conscientes de que nos encontramos perante um combate gigantesco e dramático entre o mal e o bem, a morte e a vida, a “cultura da morte” e a “cultura da vida”. Encontramo-nos não só “diante”, mas necessariamente “no meio” de tal conflito: todos estamos implicados e tomamos parte nele, com a responsabilidade iniludível de decidir incondicionalmente a favor da vida”.
No campo do Direito, essas questões adquiriram contornos particulares, responsáveis por produzir hoje grande impacto sobre as decisões jurídicas e sobre todo o arcabouço das Leis produzidas em nosso País e no mundo. Esse seminário tem em vista o enquadramento deste conflito, de modo que a questão da Moral, do Bem e da Verdade possa retornar ao debate contemporâneo livre de viés relativista para a construção de uma verdadeira Cultura da Vida.

"A catequese não prepara simplesmente para este ou aquele sacramento. O sacramento é uma consequência de uma adesão a proposta do Reino, vivida na Igreja (DNC 50)."

Documento Necessário para o Batismo e Crisma

Certidão de Nascimento ou Casamento do Batizando;

Comprovante de Casamento Civil e Religioso dos padrinhos;

Comprovante de Residência,

Cartões de encontro de Batismo dos padrinhos;

Documentos Necessários para Crisma:

RG do Crismando e Padrinho, Declaração de batismo do Crismando, Certidão ou declaração do Crisma do Padrinho, Certidão de Casamento Civil e Religioso do Padrinho/Madrinha e Crismando se casados.

Fonte: Catedral São Dimas

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Reflexão

REFLEXÃO

A porta larga que o mundo oferece para as pessoas é a busca da felicidade a partir do acúmulo de bens e de riquezas. A porta estreita é aquela dos que colocam somente em Deus a causa da própria felicidade e procuram encontrar em Deus o sentido para a sua vida. De fato, muitas pessoas falam de Deus e praticam atos religiosos, porém suas vidas são marcadas pelo interesse material, sendo que até mesmo a religião se torna um meio para o maior crescimento material, seja através da busca da projeção da própria pessoa através da instituição religiosa, seja por meio de orações que são muito mais petições relacionadas com o mundo da matéria do que um encontro pessoal com o Deus vivo e verdadeiro. Passar pela porta estreita significa assumir que Deus é o centro da nossa vida.

reflexão sobre o Dízimo

A espiritualidade do Dízimo

O dízimo carrega uma surpreendente alegria no contribuinte. Aqueles que se devotam a esta causa se sentem mais animados, confortados e motivados para viver a comunhão. O dízimo, certamente, não é uma questão de dinheiro contrariando o que muitos podem pensar. Ele só tem sentido quando nasce de uma proposta para se fazer a experiência de Deus na vida cristã. Somos chamados e convocados a este desafio.

Em caso contrario, ele se torna frio e distante; por vezes indiferente. A espiritualidade reequilibra os desafios que o dízimo carrega em si. "Honra o Senhor com tua riqueza. Com as primícias de teus rendimentos. Os teus celeiros se encherão de trigo. Teus lagares transbordarão de vinho" (Pr 3,9-10). Contribuir quando se tem de sobra, de certa forma, não é muito dispendioso e difícil. Participar da comunhão alinha o desafio do dízimo cristão.

Se desejar ler, aceno: Gn 28, 20-22; Lv 27, 30-32; Nm 18, 25-26 e Ml 3, 6-10.

Fonte : Pe. Jerônimo Gasques

http://www.portalnexo.com.br/Conteudo/?p=conteudo&CodConteudo=12

Programe-se

Catequese com Adultos/ Paróquia NSª do Rosário - todo domingo das 08h30 as 10h00 / "Vida Sim, Aborto não!"

" Encontros Catequéticos domingo, as 08h30."

*Catequese com Adultos/ Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Vila Tesouro - São José dos Campos - SP. * "Vida sim, aborto não!

Este blog pode possuir foto (imagem) retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.