"Seja Bem vindo" - "Este é um espaço a serviço do Reino de Deus. Queremos fazer deste espaço um ponto de encontro com a Fé.” Encontros Catequéticos domingo, as 08h30. “Vida sim, aborto não!” "Este site usa cookies para ajudar a fornecer serviços. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies."

quinta-feira, 29 de junho de 2017

“A doação de sangue é um ato humanitário”, afirma Geniberto, membro da CBJP



A campanha ‘Junho Vermelho’, que tem como objetivo estimular a doação de sangue durante o inverno, quando há uma redução nos estoques e um crescimento na demanda, já está na reta final. Para que o sangue não venha a faltar para quem precisa, as Fundações Hemocentro de todo o país continuam convocando as pessoas para que doem sangue.
Todos os anos, no dia 14 de junho, países de todo o mundo celebram o Dia Mundial do Doador de Sangue que este ano trouxe como slogan “Quem doa sangue, doa vida”. A data tem como objetivo aumentar a conscientização sobre a necessidade de sangue e seus derivados seguros e incentivar novos voluntários.

O cardiologista membro da Comissão Brasileira de Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e coordenador do Observatório de Saúde de Brasília, Geniberto Paiva Campos destaca o aspecto solidário da doação de sangue.
“Como o sangue não é comercializado é importante que o doador compareça aos hemocentros para manter o estoque em alta. O ato de doar é uma terapia que salva vidas”.
 Foto: Rádio VaticanoA campanha ‘Junho Vermelho’ foi criada em 2014, pelo movimento “Eu Dou Sangue” para despertar a consciência da população sobre a importância das doações periódicas. A ideia surgiu em 2011, quando as irmãs Debi Aronis e Diana Berezin lançaram o movimento ‘Eu Dou Sangue’ no Estado de São Paulo motivadas por um episódio familiar.
Dados do Ministério da Saúde mostram que no Brasil cerca de 3,5 milhões de pessoas realizam transfusão de sangue. Ao todo, existem no país 27 hemocentros coordenadores e 500 serviços de coleta. 


Atualmente, 1,8% da população brasileira doa sangue.
O sangue é essencial para os atendimentos de urgência, realização de cirurgias de grande porte e tratamento de pessoas com doenças crônicas, como a Doença Falciforme e a Talassemia, além de doenças oncológicas variadas que, frequentemente, necessitam de transfusão.
Para o cardiologista, Geniberto Paiva Campos é preciso mobilizar e estimular a população para que doe sangue. “A doação é um ato de profundo sentido humanitário e não causa prejuízo para quem doa”.
Para reforçar a importância da doação, sensibilizar novos voluntários e fidelizar doadores existentes o Ministério da Saúde também lançou uma campanha nacional de doação de sangue com o Slogan “Doe Sangue regularmente e ajude a quem precisa”.
Baixa nos estoques
Em decorrência das férias escolares e mudança de estação, o Ministério da Saúde identificou, no mês de junho, baixa nos estoques de sangue no Brasil. Por isso, neste período a campanha é reforçada.
Condições para doar
Para fazer a doação, é preciso ter entre 16 e 69 anos. Além disso, é preciso pesar, no mínimo, 50 quilos e estar em bom estado de saúde. O candidato deve estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação e não estar de jejum. No dia, é imprescindível levar documento de identidade com foto. A pessoa que tem entre 60 e 69 anos, só poderá doar se já o tiver feito antes dos 60 anos. A doação é 100% voluntária e beneficia qualquer pessoa, independente de parentesco com o doador.
Segundo o ministério da Saúde, a frequência máxima é de quatro doações anuais para o homem e de três doações anuais para a mulher. O intervalo mínimo deve ser de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres.
Referência
O Brasil é referência em doação de sangue na América Latina, Caribe e África. Desde 2009, a experiência brasileira é utilizada em cooperações técnicas com mais de 10 países para o fortalecimento e desenvolvimento da promoção da doação voluntária de sangue, qualificação da atenção integral à pessoa com Doença Falciforme e aperfeiçoamento da produção de hemocomponentes. Honduras, El Salvador e República Dominicana são exemplos de parceiros em projetos para o fortalecimento da doação voluntária de sangue.
Fonte: Ministério da Saúde e Rádio Vaticano
 http://cnbb.net.br/a-doacao-de-sangue-e-um-ato-humanitario-afirma-geniberto-membro-da-cbjp/
 

"A catequese não prepara simplesmente para este ou aquele sacramento. O sacramento é uma consequência de uma adesão a proposta do Reino, vivida na Igreja (DNC 50)."

Documento Necessário para o Batismo e Crisma

Certidão de Nascimento ou Casamento do Batizando;

Comprovante de Casamento Civil e Religioso dos padrinhos;

Comprovante de Residência,

Cartões de encontro de Batismo dos padrinhos;

Documentos Necessários para Crisma:

RG do Crismando e Padrinho, Declaração de batismo do Crismando, Certidão ou declaração do Crisma do Padrinho, Certidão de Casamento Civil e Religioso do Padrinho/Madrinha e Crismando se casados.

Fonte: Catedral São Dimas

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Reflexão

REFLEXÃO

A porta larga que o mundo oferece para as pessoas é a busca da felicidade a partir do acúmulo de bens e de riquezas. A porta estreita é aquela dos que colocam somente em Deus a causa da própria felicidade e procuram encontrar em Deus o sentido para a sua vida. De fato, muitas pessoas falam de Deus e praticam atos religiosos, porém suas vidas são marcadas pelo interesse material, sendo que até mesmo a religião se torna um meio para o maior crescimento material, seja através da busca da projeção da própria pessoa através da instituição religiosa, seja por meio de orações que são muito mais petições relacionadas com o mundo da matéria do que um encontro pessoal com o Deus vivo e verdadeiro. Passar pela porta estreita significa assumir que Deus é o centro da nossa vida.

reflexão sobre o Dízimo

A espiritualidade do Dízimo

O dízimo carrega uma surpreendente alegria no contribuinte. Aqueles que se devotam a esta causa se sentem mais animados, confortados e motivados para viver a comunhão. O dízimo, certamente, não é uma questão de dinheiro contrariando o que muitos podem pensar. Ele só tem sentido quando nasce de uma proposta para se fazer a experiência de Deus na vida cristã. Somos chamados e convocados a este desafio.

Em caso contrario, ele se torna frio e distante; por vezes indiferente. A espiritualidade reequilibra os desafios que o dízimo carrega em si. "Honra o Senhor com tua riqueza. Com as primícias de teus rendimentos. Os teus celeiros se encherão de trigo. Teus lagares transbordarão de vinho" (Pr 3,9-10). Contribuir quando se tem de sobra, de certa forma, não é muito dispendioso e difícil. Participar da comunhão alinha o desafio do dízimo cristão.

Se desejar ler, aceno: Gn 28, 20-22; Lv 27, 30-32; Nm 18, 25-26 e Ml 3, 6-10.

Fonte : Pe. Jerônimo Gasques

http://www.portalnexo.com.br/Conteudo/?p=conteudo&CodConteudo=12

Programe-se

Catequese com Adultos/ Paróquia NSª do Rosário - todo domingo das 08h30 as 10h00 / "Vida Sim, Aborto não!"

" Encontros Catequéticos domingo, as 08h30."

*Catequese com Adultos/ Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Vila Tesouro - São José dos Campos - SP. * "Vida sim, aborto não!

Este blog pode possuir foto (imagem) retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.