"Seja Bem vindo" - "Este é um espaço a serviço do Reino de Deus. Queremos fazer deste espaço um ponto de encontro com a Fé.” Encontros Catequéticos domingo, as 08h30. “Vida sim, aborto não!” "Este site usa cookies para ajudar a fornecer serviços. Ao usar o site, você concorda com o uso de cookies."

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Semana Santa e Direitos Sociais

Dom Luiz Demétrio Valentini
Bispo Emérito de Jales


Vamos entrando na Semana Santa deste ano de 2017. Em meio a cerimônias carregadas de profundo mistério, emerge a figura de Cristo, como o grande personagem de um drama que envolve a todos.
Diante do Cristo, submetido ao processo mais injusto que a humanidade registra, a atitude que nos convém é o silêncio, que nos detém em reflexão, e expressa nosso respeito pela pessoa de Jesus, que paga com sua vida as consequências da maldade humana.

Mas, olhando para Cristo, acabamos enxergando nele toda a humanidade. E´ a realidade humana que é submetida a julgamento no processo em que Cristo foi condenado.
De fato, olhando a trajetória humana da vida de Cristo, percebemos um fio condutor que vai progressivamente envolvendo a todos. Jesus não morreu na cruz por algum cálculo equivocado, por ingenuidade, ou por irresponsabilidade de suas atitudes. 
Ele nunca permitiu que sua vida fosse banalizada, por algum acidente aleatório, ou por algum homicídio precipitado.
Fez questão de declarar: “ninguém tira minha vida, eu a dou livremente”.  Ele sempre tinha presente a missão a cumprir, recebida do Pai. E só depois de cumprida plenamente é que aceitou cair nas mãos de quem queria matá-lo.
Na verdade, sua vida tinha sentido universal. Consciente disto, ele acabou montando em Jerusalém um tribunal mundial, que condenando a Cristo, acabaria sendo ele mesmo condenado.
Os poderes deste mundo estavam todos lá. Na pessoa de Pilatos que representava César, o imperador romano, estava simbolizado todo o poder político deste mundo. Estava presente Herodes, o chefete local, que se achava no direito de dispor da vida humana a seu bel prazer, e que tinha matado o profeta João Batista. 
Estavam presentes Anás e Caifás, os sumos sacerdotes, com o sinédrio e os escribas da lei, representando o poder religioso deste mundo. E o julgamento teve caráter plebiscitário, com o povo sendo instrumentalizado para ratificar a condenação que já tinha sido decidida anteriormente, quando o Cristo impedia que se concretizasse. 
Desde o início, Cristo foi aprendendo a defender sua vida, fugindo para o Egito, e posteriormente refugiando-se na desconhecida Nazaré, encravada no alto das montanhas da Galiléia. 
Lá mesmo, em Nazaré, foi ameaçado de morte, mas ele “passou por meio deles” e prosseguiu sua pregação profética.
Diversas vezes, em Jerusalém, tentaram pegá-lo, mas ele soube sumir e cair fora do alcance da mesquinhez dos malvados.  
Nos seus últimos dias, precisou viver como foragido, refugiando-se no monte das Oliveiras, onde passava as noites, e onde, finalmente, permitiu que o prendessem, mas só depois de ter garantido a celebração da Páscoa, onde ele pôde inserir, para sempre, o testemunho de sua vida, e o cumprimento de sua missão. Ao ser preso pela soldadesca encabeçada por Judas, o traidor, teve a nobreza de ânimo de chamá-lo de amigo. E mais ainda, advogou a liberdade dos seus discípulos: “se é a mim que procurais, deixai estes ir em paz! ”
Por isto, pareceria inconveniente falar de direitos humanos na Semana Santa. Mas na verdade, é no mistério de Cristo que encontramos a verdadeira justificativa de nossa luta cotidiana pelos direitos humanos. Pois ele nos deu o testemunho derradeiro de como nossa vida merece ser respeitada e preservada, com todas as condições de sua existência. 
A paixão de Cristo tem tudo a ver com a paixão pelos direitos humanos!
                   
http://www.cnbb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=20578:semana-santa-e-direitos-sociais&catid=352&Itemid=204

"A catequese não prepara simplesmente para este ou aquele sacramento. O sacramento é uma consequência de uma adesão a proposta do Reino, vivida na Igreja (DNC 50)."

Documento Necessário para o Batismo e Crisma

Certidão de Nascimento ou Casamento do Batizando;

Comprovante de Casamento Civil e Religioso dos padrinhos;

Comprovante de Residência,

Cartões de encontro de Batismo dos padrinhos;

Documentos Necessários para Crisma:

RG do Crismando e Padrinho, Declaração de batismo do Crismando, Certidão ou declaração do Crisma do Padrinho, Certidão de Casamento Civil e Religioso do Padrinho/Madrinha e Crismando se casados.

Fonte: Catedral São Dimas

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Reflexão

REFLEXÃO

A porta larga que o mundo oferece para as pessoas é a busca da felicidade a partir do acúmulo de bens e de riquezas. A porta estreita é aquela dos que colocam somente em Deus a causa da própria felicidade e procuram encontrar em Deus o sentido para a sua vida. De fato, muitas pessoas falam de Deus e praticam atos religiosos, porém suas vidas são marcadas pelo interesse material, sendo que até mesmo a religião se torna um meio para o maior crescimento material, seja através da busca da projeção da própria pessoa através da instituição religiosa, seja por meio de orações que são muito mais petições relacionadas com o mundo da matéria do que um encontro pessoal com o Deus vivo e verdadeiro. Passar pela porta estreita significa assumir que Deus é o centro da nossa vida.

reflexão sobre o Dízimo

A espiritualidade do Dízimo

O dízimo carrega uma surpreendente alegria no contribuinte. Aqueles que se devotam a esta causa se sentem mais animados, confortados e motivados para viver a comunhão. O dízimo, certamente, não é uma questão de dinheiro contrariando o que muitos podem pensar. Ele só tem sentido quando nasce de uma proposta para se fazer a experiência de Deus na vida cristã. Somos chamados e convocados a este desafio.

Em caso contrario, ele se torna frio e distante; por vezes indiferente. A espiritualidade reequilibra os desafios que o dízimo carrega em si. "Honra o Senhor com tua riqueza. Com as primícias de teus rendimentos. Os teus celeiros se encherão de trigo. Teus lagares transbordarão de vinho" (Pr 3,9-10). Contribuir quando se tem de sobra, de certa forma, não é muito dispendioso e difícil. Participar da comunhão alinha o desafio do dízimo cristão.

Se desejar ler, aceno: Gn 28, 20-22; Lv 27, 30-32; Nm 18, 25-26 e Ml 3, 6-10.

Fonte : Pe. Jerônimo Gasques

http://www.portalnexo.com.br/Conteudo/?p=conteudo&CodConteudo=12

Programe-se

Catequese com Adultos/ Paróquia NSª do Rosário - todo domingo das 08h30 as 10h00 / "Vida Sim, Aborto não!"

" Encontros Catequéticos domingo, as 08h30."

*Catequese com Adultos/ Paróquia Nossa Senhora do Rosário - Vila Tesouro - São José dos Campos - SP. * "Vida sim, aborto não!

Este blog pode possuir foto (imagem) retirada da internet caso seja o autor, por favor, entre em contato para citarmos o credito.